Postos de combustíveis da zona norte, leste e centro-sul de Manaus passam por fiscalização

Equipes da Central Integrada de Fiscalização (CIF), coordenada pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), realizaram fiscalizações em 11 postos de combustíveis na zona norte, leste e centro-sul para averiguar a presença de irregularidades na venda de combustível e verificar a qualidade do produto oferecido à população.

A ação ocorreu nesta quinta-feira (1º), e dois dos locais fiscalizados foram notificados. A CIF verificou a qualidade do combustível e a quantidade adequada utilizada na fórmula para evitar prejuízos ao consumidor.

De acordo com o agente metrológico do Instituto Estadual de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem-AM), Ricardo Farrache, o objetivo é verificar se a população está tendo prejuízo nestes estabelecimentos.

“Hoje é uma operação conjunta com a Secretaria de Segurança e outros órgãos também. A parte que coube ao Ipem é em relação à quantidade e volume fornecido pelo instrumento. A gente está indo a campo todos os dias para coibir a fraude e evitar que o consumidor seja lesado de alguma forma”, disse o agente.

O agente fiscalizador da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Herculano Wilkens destacou que foi realizado um teste de qualidade dos combustíveis, comum, aditivado além do etanol e diesel comercializados nos postos de Manaus e explicou o procedimento realizado na verificação.

“Nós fizemos o teste de qualidade e quantidade, para verificar como está a gasolina comum e aditivada, etanol hidratado além do diesel S10 e S500, que são os combustíveis comercializados nos postos de Manaus. Nós colocamos 50ML de combustível dentro de uma proveta, junto com 50% de água e é retirado o etanol dela, a partir desse procedimento verificamos quanto de gasolina realmente tem na solução”, explicou Wilkens.

Em um posto, na avenida Noel Nutels, no bairro Cidade Nova, foi aplicada uma notificação pelo Corpo de Bombeiros do Amazonas (CBMAM), por falta do auto de vistoria e outra notificação realizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), por falta de licença para operação, sendo dado um prazo de dois dias para regularização.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *